Antes de comprar um livro, as pessoas gostam de dar uma olhada nas páginas e ter uma ideia da história. Elas leem a sinopse, o prefácio e até mesmo o prólogo para descobrir se o livro parece interessante.
Os snippets de resultado da pesquisa também servem para isso. Eles ajudam as pessoas a decidir se vale a pena ler a página de onde um snippet foi retirado.

Quanto mais descritivos e relevantes forem os snippets de resultado da pesquisa, maior a probabilidade de as pessoas clicarem na página e ficarem satisfeitas com o conteúdo.Originalmente, os snippets vinham de três lugares:

  1. Do conteúdo da página
  2. Da metadescrição
  3. De listagens do DMOZ

Faz sentido colocar o conteúdo da página nos snippets de resultado, e o material extraído costuma ser o mais relevante às consultas dos usuários. No entanto, há casos em que o próprio conteúdo não é a melhor fonte para os snippets. Por exemplo, quando alguém pesquisa uma editora em busca de um livro, é possível que as páginas iniciais relevantes dos resultados só tenham algumas imagens descrevendo as empresas, um logotipo ou alguns links. Nenhum desses itens é muito útil para um snippet.
Quando o conteúdo da página não tem texto suficiente para um snippet de resultado da pesquisa, a alternativa lógica é usar a metadescrição. Ela costuma ser um texto curto que descreve o conteúdo com precisão em poucas palavras.
Por último, nos casos em que a página não tinha muito conteúdo textual para a geração de um snippet e a metadescrição não tinha relação com a página, era de má qualidade ou sequer existia, nosso plano B era usar o DMOZ, também conhecido como Open Directory Project (ODP). Por mais de 10 anos, contamos com o DMOZ para gerar snippets. Isso porque, muitas vezes, a qualidade dos snippets do DMOZ era muito melhor que a do conteúdo fornecido pelos webmasters na metadescrição, ou esses snippets tinham mais informações do que a descrição fornecida pela página.
Com o encerramento do DMOZ (em inglês), deixamos de usar as informações do projeto para gerar snippets. Por isso, agora é ainda mais importante que os webmasters criem metadescrições de boa qualidade nos casos em que não é possível adicionar conteúdo à página.
O que faz uma boa metadescrição?
As metadescrições bem feitas são textos curtos que descrevem com precisão o conteúdo da página. Eles são como um argumento de venda para convencer os usuários de que a página tem exatamente o que eles estão procurando. Veja mais dicas no nosso artigo da Central de Ajuda sobre isso. É importante que tanto a página para computadores como a para dispositivos móveis incluam um título e uma metadescrição.
Quais são os problemas mais comuns das metadescrições?
Como geralmente as metadescrições só estão disponíveis para os mecanismos de pesquisa e outros softwares, às vezes os webmasters se esquecem delas e as deixam totalmente em branco. Também por isso, é comum que a mesma metadescrição seja usada em várias páginas (às vezes, em muitas delas). Por outro lado, também é relativamente comum que a descrição esteja totalmente fora do tópico, seja de baixa qualidade ou tenha spam. Esses problemas prejudicam a experiência de pesquisa dos nossos usuários, então preferimos ignorar essas metadescrições.
Existe um limite de caracteres para as metadescrições?
Não há limite de comprimento para as metadescrições, mas os snippets de resultado da pesquisa são truncados conforme necessário. Normalmente, isso é feito para ajustar o texto à largura do dispositivo.
O que acontecerá com a diretiva de robots “NOODP”?
Com o encerramento do DMOZ (ODP), deixamos de usar esses dados. Portanto, a diretiva “NOODP” já é no-op.
Posso impedir o Google de usar o conteúdo da página como snippet? 
Você tem a opção de impedir completamente que o Google gere snippets. Para isso, especifique a diretiva de robots “nosnippet”. No entanto, não é possível impedir a criação de snippets com conteúdo da página e, ao mesmo tempo, permitir que eles sejam gerados com outras fontes.

Deixe uma resposta