À medida que o Google começa a disponibilizar a indexação mobile-first em mais e mais sites, ele está percebendo alguma confusão dentro da indústria em torno da indexação mobile-first e decidiu esclarecer alguns pontos no Twitter nesta manhã.

URLs com indexação mobile-first

Se você implantar URLs diferentes para dispositivos móveis versus desktop, o Google mostrará aos usuários de pesquisa para dispositivos móveis seu URL para dispositivos móveis e os pesquisadores de desktop o URL de desktop. Nos dois casos, o conteúdo indexado será a versão para celular do site, mesmo que o Google mostre o URL de desktop. Os sites criados com um único URL para dispositivos móveis e computadores não precisam se preocupar com isso.

URLs na busca: Com a indexação mobile-first, nós indexamos a versão mobile. Quando reconhecemos URLs mobile diferentes, nós mostraremos a URL mobile para o usuário mobile, e a URL de desktop para o usuário de desktop o conteúdo indexado será a versão mobile em ambos os casos.

Mudanças de rastreamento

O Google afirmou que a contagem de rastreamento por dia não será realmente alterada, mas o saldo mudará de páginas de área de trabalho rastreadas para majoritariamente páginas para dispositivos móveis rastreadas. O Google também pode aumentar temporariamente o rastreamento quando reindexar seu website.

Contagens de rastreamento: O total de números de URLs rastreadas por dia não irá mudar de forma geral, mas o balanço irá mudar de rastreamentos majoritariamente desktop para majoritariamente mobile. Durante a mudança para a indexação mobile-first, nós iremos temporariamente rastrear mais e mais enquantos reindexamos tudo.

Erro de cachê

No momento, há um bug no cachê do Google que, quando um site é movido para o processo de indexação de dispositivos móveis, o link de cachê do Google às vezes pode não retornar nada, dando erro 404 ou mostrar uma página em branco. Este é um bug conhecido que o Google está trabalhando para corrigir e tem impacto zero na indexação e classificação.

Página em cachê: Infelizmente, parece que ainda não estamos mostrando a página em cachê para muitos sites indexados mobile-first. Esse é um erro, não de design, e irá ser resolvido ao longo do tempo. É apenas interface de usuário, e não afeta o rastreamento, a indexação e nem o ranking.

A atualização de velocidade não está relacionada à indexação mobile-first

Sim, você deve tornar seu site rápido, especialmente para usuários móveis, diz o Google, mas a atualização de velocidade que está chegando em julho não está diretamente relacionada à indexação mobile first.

Velocidade e indexação mobile-first: A atualização de velocidade mobile em julho é independente da indexação mobile-first. Sites rápidos são ótimos para os usuários, especialmente no celular, já que dispositivos e conexões neles tendem a ser mais lentos do que no desktop.

Não é necessária compatibilidade com dispositivos móveis

Seu website não precisa ser compatível com dispositivos móveis nem deve ser responsivo para ser incluído no processo de indexação mobile-first. Na verdade, os primeiros sites a migrar para a indexação mobile-first eram os sites somente para desktop.

Sobre requisitos: Design responsivo ou mobile-friendly não são requisitos para a indexação mobile-first. Páginas sem versões mobiles ainda funcionam nos celulares, e são usáveis para indexação. Dito isso, já está na hora de sair de versões apenas-desktop e adotar o mobile.

Aumento do ranking

A mudança para a indexação mobile-first não oferece uma classificação melhor na busca do Google. Embora a compatibilidade com dispositivos móveis seja um fator de classificação para dispositivos móveis, não está relacionado a estar no índice para dispositivos móveis.

Sobre o ranking: A indexação mobile-first não muda nada para os rankings além do fato de que o conteúdo mobile é utilizado. Enquanto ser mobile-friendly é um fator de ranking, estar na indexação mobile-first não é.

Deixe uma resposta